sábado, 4 de dezembro de 2010

O som do trompete

O som do trompete em surdina

toca as palavras e as empurra

para a beira dos lábios.



Há ritmo no sangue acelerado,

música em uníssono.



O poema também é isto.



Silvia Chueire

2 comentários:

Manoel disse...

Poema conciso, sensorial. Brilhante. Como de costume...

Ramon Alcântara disse...

A poesia é o descompasso da melodia.

Ann Nothing lhe espera!
Abz.

diários IV

        a rotina pode ser uma impercebida prisão.   toma-nos de surpresa. pé ante pé instala-se na vida de acordo com ...