terça-feira, 21 de outubro de 2008

descansarei

o mar e a música moura
impregnando as paredes
a torre antiga da igreja esbatida ao sol
e a casa abandonada a esperar.

um dia lá descansarei, pensaste.


silvia chueire

Um comentário:

fc disse...

Escrevo hoje para saberes que, passados anos que passaram, ainda continuo fiel ao bom gosto de gostar de vir e comentar quando, como agora, uma fala quer ser fala, o que é raro, mais fácil é um verso, um poema, a poesia vir e eu sentir poder por ela dizer desse sentir. Bjs

diários IV

        a rotina pode ser uma impercebida prisão.   toma-nos de surpresa. pé ante pé instala-se na vida de acordo com ...