domingo, 22 de julho de 2007

um só dia


respiro um fio de ar,
equilibro-me parcamente no tempo.
o corpo diz-me num sussurro
sobre o cansaço,
a dor e a memória
que o atam às tuas palavras,
à razão da falta.

suspensa entre as horas e a angústia,
faço de conta que os dias
são um só.

silvia chueire

Nenhum comentário:

diários IV

        a rotina pode ser uma impercebida prisão.   toma-nos de surpresa. pé ante pé instala-se na vida de acordo com ...