segunda-feira, 28 de abril de 2008

Diria o mar

Não sei como dirias este mar
onde o sol de entre as nuvens se absorve
em clamores de espuma luminosa
N.D.




Diria o mar como um deslimite,
um universo onde criaturas voam
um bailado de liberdade.
Nós as olhamos,
feito seres impotentes.
Olhamos para cima
as ondas que se elevam e despencam.

Netuno tem um reino
que divino, mas humano, nos entrega
incondicionalmente.
Nunca sabemos bem o que fazer com ele,

a grandeza a erguer-se ou mergulhar
aos nossos olhos pequenos
.


Diria o mar como uma imensidão,
acima e abaixo dos desertos,
das rochas,
da terra onde bate incessante
e à qual pertencemos
tão breves quanto a chama de uma vela.


Silvia Chueire


Um comentário:

nora borges disse...

Menina, eu emudeço diante do mar... ele me absorve a alma.

Ps: Seu endereço está absolutamente correto dentro do meu template, mas quando clico nele aparece como se fosse do verbeat. Isso é incompreensível!
Já apaguei e escrevi outra vez e ele segue mudando , mas só na hora do clique! Louco!
Vou pedir ao "síndico" para corrigir.
Beijos

diários IV

        a rotina pode ser uma impercebida prisão.   toma-nos de surpresa. pé ante pé instala-se na vida de acordo com ...