quarta-feira, 2 de agosto de 2006




respirar


respirar o fogo,
a chama a encerrar(-me)
tão fundo no peito
-punhal e prisão-
arde sobre a ferida,
sobre a noite em grades.

morder os lábios,
os músculos crispados
a combater a lágrima
e o corpo vazio.

dobrar a dor
meticulosamente
e (simular) guardá-la
fora do alcance.



silvia chueire

Nenhum comentário:

diários III

as orquídeas lançam raízem e flores desenfreadas. têm pressa.   desabrocharão sua beleza extrema com a paixão típica das flores....