domingo, 22 de outubro de 2006

o dia

















o dia

habitas uma terra antiga
e voltas os teus olhos
para a noite que te cerca.

perdes o dia
- novo, novo -
que te sobe pelas pernas,
agarrado a elas,
falando-te palavras
novas em cor e som.

perdes o dia
que iluminará o escuro
que te toma os olhos,
não importando se a morte vem.



silvia chueire



Nenhum comentário:

diários IV

        a rotina pode ser uma impercebida prisão.   toma-nos de surpresa. pé ante pé instala-se na vida de acordo com ...